Esse blog nasceu de minha necessidade de, por vezes expressar, meus pensamentos, idéias, desabafos e devaneios. Enfim, como o próprio nome ja diz numa tradução despretenciosa, as idéias da minha mente cujo, primeiro Insight já foi arriscar um trocadilho com "Inside" my mind. Portanto sejam bem vindos... e... sintam-se em casa!

sábado, 1 de maio de 2010

As vezes olhamos mas não vemos...





Ambigramas são palavras que através de sua grafia mantém a sua estética inalterada não importando o ângulo pela qual é vista.
Muitas vezes na vida acontecem coisas como essa, uma espécie de ilusão de ótica do destino, do tempo, da nossa história de uma maneira geral.
Como na imagem acima está tudo tão claro, tudo explicito mas ainda assim exige um olhar mais apurado. Nos surpreende no exato momento em que percebemos que é tão óbvio que não importa como a olhemos, seu sentido será o mesmo, como algo definitivo, inevitável.
É muito comum hoje em dia a expressão:
Não entendeu? Quer que desenhe?
E a ela atribuimos uma atitude pejorativa, debochada e ironica, como se questionássemos a capacidade mental do próximo em entender coisas complexas a ponto de precisar recorrer a elementos gráficos para uma melhor leitura do contexto.
Em geral, e a grosso modo é sim uma ironia, mas não podemos negar a grande importancia de simbolos em nossas vidas no decorrer da história.
Uma criança de 3 anos ainda nem imagina o que é uma letra mas onde quer que aviste um "M" enorme e amarelo, ainda que estilizado como é, seus olhinhos ja começam a imaginar um lanche feliz e claro, mais um brinquedinho para sua coleção.
Os Celtas sempre muito ligados a simbologia sempre utilizaram se de figuras simétricas e que tinham um inicio ligado ao fim, ou seja uma continuidade, que confere a cada desenho a sugestão de algo perpétuo, sem início ou fim. A cultura celta sempre acreditou no ciclo da vida, e isso para nós hoje, pode ser colocado como as voltas que o mundo dá, aliás outra expressão muito comum.
Essas voltas talvez sejam necessárias para que a nossa visão consiga contemplar o mesmo cenário de diversos angulos até que , num dado momento conseguimos enxergar com clareza aquilo que sempre esteve diante de nossos olhos.
Os Monogramas por sua vez, Letras entrelaçadas criando uma figura unica, foram vastamente utilizado na europa por nobres que cunhavam seus brasões com as iniciais de suas linhagens conferindo assim status, poder e acima de tudo a manifestação inequívoca de que laços muito mais poderosos e sagrados uniam aquelas almas.
A vida, é sempre uma apanhado de coisas, experiencias, situações, aprendizados e valores que vão sendo agregados aos poucos fazendo assim a nossa história.
Dessa forma creio que esse monograma ambigramico pode exemplificar bem o que acontece na minha vida hoje.
Sempre foi assim o encaixe de ideias era perfeito. Afinidades, confiança, "SINTONIA"...
Durante um tempo nos chamávamos de irmãos, era a falta desse segundo olhar, essa capacidade de ver mais além , que o tempo conseguiu nos proporcionar.
Não é uma questõa de ser iguais, um V jamais será um A e vice versa. mas é incrivel ver como podem estar lado a lado, chegando a confundir se, a se completarem.
Também é incrivel ver que não é uma questão de dominação, não estão um acima do outro, mas literalmente lado a lado.
E finalmente não é uma questão de opostos que se atraem. Mas sim de semlhantes que se completam.
De formas que se moldam e se posicionam na busca de uma melhor integração, de uma fusão, como numa SIMBIOSE...
O A não quer transformar o V e nem o V transformar o A, a verdade é que um precisa do que o outro tem.
Como uma flor que se move em direção ao sol na busca de sua síntese.
Sim, eu precisei desenhar pois nem eu mesmo entendia, o destino precisou pintar o quadro inequívoco diante dos meus olhos para conseguir enxergar o inevitável.
Algo como se estivesse ja há muito determinado, de forma tal que fosse qual fosse o angulo, o resultado seria o mesmo.
Talvez muita gente não consiga compreender, talvez muita gente ache que é algo improvável uma vez que as diferenças podem ser tão gritantes quanto as semelhanças, mas essa é a magica.
Um V sempre será um V e um A jamais deixará de ser um A.
No comportamento, genio, temperamento sempre serão diferentes. Mas enquanto estiverem dispostos a se entrelaçar buscando complementar um ao outro, permanecerão ligados e fundidos no ponto onde realmente importa... em suas essências, pois no fundo são apenas duas letras, inexpressivas por si só, mas que buscam um significado maior juntas.
Juntas já não são meras letras, ja tornam se um símbolo, com toda a mística que essas manifestações graficas encerram.
Simbolo de que?
Símbolo daquilo pelo que estiverem dispostos a lutar lado a lado para escrever essa história, a qual o o passado presenteou o tema, o presente está sugerindo o enredo e o futuro oferta de bom grado os melhores desfechos,
As palavras e passagens dessa historia não são de responsabilidade apenas do A, tão pouco do V,
É apenas enquanto o símbolo perseverar que se escreverá uma história riquíssima e cheia de momentos inesquecíveis.
Não a toa símbolos tornam se lendas.
Tal é o poder que emana de sua história, e cada curva desse ambigrama foi devidamente feita de modo a uma total integração.
Que o tempo, o destino e o Poder Maior que desenhou caprichoso essa insígnia em nossas vidas possa traçar mais e mais as curvas que nos fará nos fundirmos cada vez mais até que cheguemos ao ponto de nos
CONFUNDIRMOS (CO - FUNDIRMOS).
Sempre sem deixar de ser, esse maravilhoso V e esse intrigante A.


Um comentário:

  1. Vc consegue mesmo me deixar de boca aberta rsrs
    Obrigada !!!!!!!

    ResponderExcluir